sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Français: Une nouvelle passion





Hoje em dia ser uma pessoa monoglota já não é o bastante.
Por isso, durante estas últimas semanas tenho me dedicado á língua francesa. Decidi estudar esta língua por que eu gosto muito da França (tenho fé que um dia ainda irei visitar este lugar fantástico), apesar de que a língua mundialmente falada é o inglês, mas enfim isso não quer dizer absolutamente nada.

Estou tendo uma certa dificuldade em pronunciar algumas palavras, mas isto com o tempo eu aprendo. Tenho visto muitos filmes com legenda em francês e escutando muitas musicas francesas como de exemplo “Ne me quitte Pas” um clássico da musica francesa do cantor já falecido Jacques Brel e também pesquisando muito sobre a rica cultura que lá existe.

Bem tenho muito que aprender ainda, mas espero que eu aprenda o mais rápido possível.

Quando eu conseguir dominar a língua, vou tentar escrever algo em francês sem usar o tradutor do “Google”.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

De Tchubaruba ao Tropicalismo


Maria Luiza de Arruda Botelho Pereira de Magalhães, para que não sebe quem é trata-se da Cantora, compositora e instrumentista brasileira Mallu Magalhães, em que aos noves anos de idade ganhou um violão e dois anos depois passou a fazer aulas.
Duarante sua infância ouvia atentamente os CDs e LPs de seus pais e de seus avós, prestando atenção à música e aos encartes dos discos e, através deles, foi buscando outros artistas.
Aos doze anos, começou a compor músicas, grande parte delas escritas em inglês.
Em 2007, aos 15 anos, Mallu juntou algum dinheiro e gravou quatro de suas músicas, disponibilizando-as na internet por meio do site Myspace.
Mallu Magalhães, embora criticada por muitos devido a sua controversa postura em entrevistas e participações em programas de TV, é apontada como revelação da música brasileira, sendo aclamada pela imprensa pela sua precocidade, espontaneidade e talento para compor e cantar tanto em inglês como em português. Suas maiores influências são The Beatles, Belle and Sebastian, Bob Dylan, Johnny Cash, e incluem o rock clássico, o folk americano, a MPB, o samba Tropicalista além de outros estilos musicais semelhantes.

Resolvi falar um pocuco sobre ela, pelo simples fato de ser fã a primeira vista, fui em um show e foi demais.
Mas o que falar dessas pessoas que tanto falam mal dela, bem, tem o que falar, essas pessoas é que não sabem dar valor as coisas novas que estão surgindo, não tem um um bom ouvido.
Estamos vivendo um tempo em a música está cada vez mais pobre, tanto no Brasil quanto em outros países.
Não que eu queira ser pré-conceituoso com os outos estilos músicais, por mim, cada um tem o direito de escultar o que quiser.
O problema está nessas "modinhas" músicais em que a sociedade implanta um tabu, e o resto vão atrás e acabam se esquecendo das coisas boas que existem em nosso país.
Então digo, eu prefiro escultar coisas que meu avô escultava, não ligo para o que vão falarem.