sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Poema do Blues

Blue Moon, Rua marginaliza;
E lá está ele com o seu paletó preto, uma calça de linho e o seu velho sapato, já gasto pelas andanças da vida;
No seu colo um corpo de uma guitarra;
Seus dedos se entrelaçam, produzindo um som nostalgico;
Lembrava de seus tempos em Mississipi;
Lembrava de Muddy Waters com sua guitarra inconfundível;
Queria fumar cigarros para tragar a saudade;
Queria beber wiskys para preencher a noite com mais felicidade;
Queria poder encontrar Robert Johnson na encruzilha (Cross Road)
De sua sacada ouvia o uivar de Howlin' Wolf;
Saia as ruas assobiando sentimentos;
Em sua mão levava também a harmonia de uma gaita;
Queria uma noite de Blues.

2 comentários:

Iguimarães disse...

Muito maneiro.
Bem fechadinho.
Muitas coisas querendo dizer mais coisas ainda.
E o som da nostalgia dos acordes foi ótimo

Nicelle Almeida disse...

Uma noite de blues...tudo de bom!
Amei seu poema... =)
Um forte abraço, meu visita tb ;)
www.nicellealmeida.blogspot.com