quarta-feira, 6 de abril de 2011

Olhos de Joana

Piscando as pálpebras, ligando sílios.

Azul como um céu azul, as vezes verde, dependendo do tempo […]

Joana pensava em seus olhos, jamais verás a fantasia desaparecendo.

Sua dor era explicita.

Mas seus olhos diziam tudo, toda a sua alegria, todo seu sofrimento, seu fracasso, suas fantasias…

Olhos de Joana jamais esquecerei.

Olharei para as estrelas e contarei cada uma.

Irei ao paraiso.

Olhos de Joana entrou no meu sentimento duvidoso.

Um comentário:

Gisele disse...

Olá... eu gostei... parabéns colega. Eu tbm escrevo...se quiser conferir...
http://poedeque.blogspot.com