segunda-feira, 16 de maio de 2011

Tanto fascínio a troco de nada.

15 de maio de 2011. Domingo, dia chuvoso e frio.
Na TV a rivalidade toma conta e a sociedade conformatizada com tão pouco.
Final de jogo, gritarias histéricas, berros de uma felicidade passageira, afinal, amanhã (hoje) é segunda- feira e tudo volta ao normal.
Analisando este comportamento das pessoas em torno de uma disputa em que um quer ser superior ao outro, me pergunto o porquê deste fanatismo que elas têm por algo que não acrescenta nada em sua vida. Um fanatismo fora do normal, em que sofrem, choram, em alguns casos morrem, qual o motivo por tanta fascinação?
Quero tentar entender isto.
Qual é a razão de um ser, querer se preocupar com a escalação do time, com as vitórias e derrotas, por que não se preocupar com a sociedade carente que merece mais atenção do que uma simples partida de futebol, não há a preocupação com crianças que nem sequer tem uma bola para chutar e poder comemorar seu gol, enquanto isso, vocês comemoram uma vitória a troco de nada.
Irão acreditar uma seleção de futebol, ajuda muitas crianças à saírem da marginalização, será?
Talvez não saibam da quantidade de dinheiro que "rola" dentro desses times no qual é muito comparado com a nossa atual política.
Enfim, fica aí a minha nota no que penso e analiso sobre o nosso "querido" futebol.


Nenhum comentário: