sábado, 2 de julho de 2011

[Ex] Trações

Sua pele expele perfume. Seu lenço no pescoço se entrelaça com tanta vontade de abraça-la.
Sua voz se manifesta desesperadamente, gritos vibratórios.
Suas mãos lançam-se ao ar, parecendo pedir algo aos céus.
Saira pelos andarilhos da sua rua, descalça.
Ousaria berrar para todas as direções possíveis, sem se lamentar de nada- ousaria?
Veio buscar suas malas, já prontas para partir para o seu rumo desconhecido, desagradável, inútil.
Pensaria que a lua seguiria seus passos descontrolados, seguiria a sua sombra desorientada.
Se arrependeria de abusar os seus sentimentos tortos.



[...] Meio.


Após, desgostos, agostos, gestos.
Encravada entre bocas e unhas, se ajustara em repartições minusculas.
Era o seu desejo, de querer, esprimir seus sentimentos, através da sua epiderme, derme.
Chegara assim.... deitada com emoções
[ex] traidas.

Nenhum comentário: