sábado, 24 de setembro de 2011

Sussurro Desafinado

Em meio a dias ensolarado, em um turbilhão de pensamentos desaforados, ficou a esperar por um só momento imediato. Momentos a dois.
Pensaria em cuidar de sua pele junto a minha, passeávamos em direções distorcidas, entre multidões
ininterruptamente brávias, sem medo de arriscar.
Em meio a isto tudo sussurraria em seu ouvido, acordes e notas desafinadas, como um velho violeiro dando seus últimos acordes com seus dedos longos em cada nota.
Pensaria em acariciar seu rosto gélido, sem ao menos querer tocar.
Entre um sussurro e outro ousaria em querer tocar a sua pele alva.
Linguas ao luar.
Com um licor, o contato.
Peles uniformes.
Do sádico ao sábio.
O tato ao teto.

Um comentário:

Luzia Medeiros disse...

Hum! Bonitas e sedutoras palavras, gostei do texto, beijos.