sexta-feira, 30 de março de 2012

Dia 04. O primeiro livro que lhe fez chorar.



Confesso que choro por tudo, filme, música... mas em se tratar de livros, acho que o primeiro e único livro que me chorar até então foi o clássico Eu Christiane F, 13 Anos, Drogada e Prostituída.
Este livro me marcou e me envolveu muito, cada parte me levava a ter sofrimentos parecidos com os dela, era uma mistura de sentimentos, tristeza, nojo. Em uma das partes, lembro ter chorado litros (
hipérbole), quando assisti ao filme, lembro ter chorado mais pela música Heroes do David Bowie.
Quero ver seu ler um outro livro que me faz sofrer como este me fez.




segunda-feira, 12 de março de 2012

Kerouac 90 anos na Estrada


Jack Kerouac o vagabundo solitário, nasceu em Lowell, Massachusetts, em 12 de março de 1922; era o mais novo de três filhos de uma família de origem franco-canadense, exatamente hoje faria seus 90 anos de estrada. Para os leitores que o conhecem pelas as aventuras do livro
On The Road (Pé Na Estrada), considerado a obra-prima de Kerouac, um dos principais expoentes da geração Beat, sendo uma grande influência para a juventude dos anos 60, que colocava a mochila nas costas e botava o pé na estrada. Foi lançado nos Estados Unidos pela primeira vez em 1957. Quem já leu, se aventurou nas caminhadas de Kerouac em percorreu costa a costa dos EUA, pegando caronas de caminhoneiros, trens e navios, e que nestas viagens usurfluiu de um tudo um pouco ao velho som do Jazz.

Eis um trecho do livro:

"Assim, na América, quando o sol se põe, eu me sento no velho e arruinado cais do rio olhando os longos, longos céus acima de Nova Jersey, e consigo sentir toda aquela terra crua e rude se derramando numa única, inacreditável e elevada vastidão, até a costa oeste, e a estrada seguindo em frente, todas as pessoas sonhando naquela imensidão, e em Iowa eu sei que agora as crianças
devem estar chorando na terra onde deixam as crianças chorar, e você não sabe que Deus é a Ursa Maior? A estrela do entardecer deve estar morrendo e irradiando sua pálida cintilância sobre a pradaria, reluzindo pela última vez antes da chegada da noite completa, que abençoa a terra, escurece todos os rios, recobre os picos e oculta a última praia, e ninguém, ninguém sabe o que vai
acontecer a qualquer pessoa, além dos desamparados andrajos da velhice. Penso então em Dean Moriarty, penso no velho Dean Moriarty, o pai que jamais encontramos, penso em Dean Moriarty."


Em maio, será lançado o filme On The Road do diretor Walter Salles, baseado no livro do escritor. Assistam aí o Trailer.

sexta-feira, 9 de março de 2012

Noite do GRITO ROCK 12


Para os desconhecidos, o
Grito Rock é o maior festival integrado da América Latina e se trata de uma forma eficiente para promover a circulação de artistas pelo Brasil.
Realizado há dez anos no Brasil, o Festival Grito Rock chega com a marca de 200 cidades participantes em 2012, aumentando em 55% o número de realizadores de 2011, quando 130 cidades sediaram o festival, em 10 países. (Fonte: GritoRock.com)


Em Santa Maria, na noite de quinta-feira quente, uma movimentação começava por volta 23:30 no Bar Macondo Lugar. Era a noite do Grito Rock Santa Maria.

O show começou com uma performace teatral de
Luise Scherer intitulado "Gota e Barro" e na mesma apresentação uma parte do espetáculo "Quando Fecho os Olhos". Uma performace cheia de projeções visuais e sonoras de autoria da Francine Nunes.

Após, a banda Paris em Chamas (Santa Maria-RS) pela primeira vez sobe no palco do macondo, tocando as seus sons energéticos e intenso e letras que entram direto no ouvido. Um quarteto de puro vigor e honestidade, com um vocalista que interagia direto com seu público: -Estão gostando? animando a todos que ali prestigiavam uma banda que está começando agora, mas que faz um som impecável parecendo já ser veterana.


Foto: Ivon Fernades


Em seguida o palco ficou pequeno para tanto divertimento, a banda
Greek Van Peixe (Caxias do Sul-RS) aperta o play e joga seus sons com influências nada comuns como trilha sonora de games e histórias em quadrinhos. O momento de pura diversão foi a música em que os gritos de BATMAN soavam e público era o eco.


Foto de Divulgação.

E na finaleira a banda
Tereza (Rio de Janeiro) encerra a noite tocando seu repertório recheado de misturas, muita gente arrastou as sandalhas ao tocararem um som espécie de Forró. Influenciados principalmente pelo indie rock, suas músicas revelam uma ótima mistura do novo com o pop.


Foto: Fábio Seixo

E assim foi o GRITO ROCK 2012 em Santa Maria, vamos agora aguardar para o próximo!